Agradecemos sua visita. Aproveite e cadastre-se gratuitamente como seguidor ou seguidora.

Aqui a Matemática é Simples e Descomplicada! Acesse, comente e compartilhe nossos artigos.
Hoje é


Aproveite seu tempo para aprimorar seus conhecimentos! Que tal encontrar muitos artigos matemáticos!: →

Translate

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Algoritmos Matemáticos!

Entenda porque devemos usar algoritmos na matemática!
Você sabia que não é somente na Matemática que usamos os algoritmos. Eles são utilizados em muitas outras atividades, seja nos demais ramos da ciência e até mesmo em ações simples e automáticas do nosso cotidiano. 
Um algoritmo nada mais é do que uma receita que indica o passo a passo dos procedimentos necessários que devemos seguir para facilitar a resolução de uma tarefa. Vemos então que a sua finalidade não é para nos dizer “o que fazer?”, mas sim informar a maneira correta de “como fazer”. 
Em termos técnicos, um algoritmo corresponde a uma sequência lógica, finita e definida de instruções que devem ser seguidas para resolver um problema ou executar uma determinada tarefa. Quando compramos um aparelho eletrônico, normalmente recebemos o manual de instruções, apresentando um resumo prático para utilizar o equipamento com segurança e eficácia, assim como o passo a passo para instalação e uso do equipamento adquirido. Essas orientações podem ser observadas em etapas ou até mesmo em gráficos ou esquemas gráficos que vão nos mostrar como devemos montar ou utilizar os recursos do bem adquirido. Evidentemente que existe orientações técnicas que somente são bem interpretadas por profissionais qualificados, mas as empresas tentam simplificar ao máximo essas orientações, para que qualquer consumidor comum possa realizar e gozar dos benefícios ou dos entretenimentos proporcionados por tais bens de consumo.

Embora você não perceba, utiliza algoritmos de forma intuitiva e automática diariamente quando executa muitas tarefas comuns. Como estas atividades são simples, elas dispensam ficarmos pensando demasiadamente nas instruções e orientações necessárias para fazê-las, e dessa forma o(s) algoritmo(s) presente(s) nelas acabam passando despercebido ou realizado quase sempre de forma automática.






Por exemplo, quando precisamos trocar uma lâmpada, que é uma atividade bem elementar, seguimos um passo a passo bem definido e simples, no qual o consumidor ou instalador responsável pode executar com segurança algumas etapas bem definidas. Antes de iniciarmos essa atividade, devemos ter todos os equipamentos adequados em mãos tais como: a lâmpada na voltagem correta, uma escada segura com altura suficiente, assim como não ter as mãos molhadas e preferencialmente ter conhecimentos mínimos sobre funcionamento da energia elétrica, para evitarmos acidentes como choques elétricos e finalmente executar o passo a passo com segurança. Mas, vamos então ao esquema prático, relativo aos procedimentos necessários para executar essa tarefa satisfatoriamente:

Início da atividade:
Verificamos se o interruptor correspondente está desligado;
Certificamos sobre a voltagem da rede para adquirir uma lâmpada compatível;
Compramos uma lâmpada nova de voltagem adequada;
Leva-se uma escada de abrir até o local;
Abrimos a escada num ângulo seguro e com altura adequada;
Posiciona-se a escada bem embaixo do soquete rosqueado;
Subimos os degraus até alcançar o soquete;
Retira-se cuidadosamente a lâmpada queimada;
Colocamos a lâmpada nova, rosqueando-a ao soquete;
Descemos da escada;
Acionamos o interruptor para testar o funcionamento;
Verificamos que a lâmpada deve ficar acesa;

Se a lâmpada não acender, então:
Retiramos a lâmpada queimada;
Colocamos outra lâmpada nova; ...

Senão
Tarefa terminada;
Jogamos ou descartamos a lâmpada queimada em um local de coleta autorizado; 
Guardamos a escada.
Fim da atividade

Nota: Deixamos bem claro que esses procedimentos são adequados para o caso de substituição de uma lâmpada queimada, mas no caso do defeito ser de outra ordem, claro que devemos acionar um eletricista ou técnico para reparar o defeito apresentado.

Os algoritmos são muito utilizados na área de programação, descrevendo as etapas que precisam ser efetuadas para que um programa execute as tarefas que lhe são designadas. Existem diversas formas que podemos usar para escrever um algoritmo, podendo ser citadas o pseudocódigo (ou português estruturado), fluxograma, diagrama de Chapin e descrição narrativa.

A sequência escrita no exemplo da troca da lâmpada estava em descrição narrativa, por exemplo. Esta forma não é muito utilizada em informática porque pode ser ambígua e dar margem a interpretações equivocadas. Uma linguagem de programação tem todo um conjunto de regulações e comandos, muito deles em inglês que são executados por programadores e analistas com conhecimentos inerentes. 

Os dois tipos mais comuns de linguagens são o pseudocódigo que utiliza uma forma mais estruturada, assemelhando-se àquelas utilizadas pelas linguagens de programação e o fluxograma que emprega figuras geométricas para ilustrar os passos a serem seguidos.

Como exemplos, citamos o Diagrama de Chapin, Diagrama Nassi-Shneiderman ou Diagrama N-S que nos mostra a solução por meio de quadros organizados hierárquica e estruturadamente. Muitos desses diagramas são difíceis de serem mostrados e interpretados e são evitados por esse motivo descrito.

Na matemática temos vários algoritmos que nos ajudam a realizar alguns cálculos com maior rapidez e precisão. Por exemplo, citamos o algoritmo da divisão que nada mais é do que um método prático utilizado para dividir um número por outro, obtendo um quociente como resultado e, algumas vezes, um resto. Outros algoritmos muito usados nesse ramo da ciência são: o algoritmo da soma, da subtração, etc., em que colocamos os números em linhas superior e inferior, com os seus valores posicionais alinhados, de modo que a unidade do primeiro fique exatamente sobre a unidade do segundo, a dezena do primeiro fique exatamente sobre a dezena do segundo e assim por diante. 

No algoritmo da subtração, colocamos na primeira posição o valor maior e logo abaixo o número com valor menor e devidamente alinhados para então realizarmos os cálculos inerentes, sempre da esquerda para a direita.

Vamos apresentar apenas um exemplo prático bem simples: 13458 – 1236
  13458
– 1236
Assim, subtraímos os números da casa das unidades: 8 – 6 = 2. No algoritmo:
  13458
– 1236
        2
Passaremos, em seguida, para a casa das dezenas e subtrairemos os algarismos: 5 – 3 = 2. No algoritmo:
  13458
– 1236
      22
Continuando o processo, encontraremos o seguinte resultado:
  13458
– 1236

 12222
Portanto a resposta ou a solução encontrada para nossa operação proposta é 13458 -1236 = 1222.

Conclusão!

Professor, que tal introduzir uma atividade didática para que seus alunos entendam os algoritmos em sala de aula. Eles facilmente saberão de alguma atividade relacionada ao tema, que já vivenciaram em seu dia a dia. Acreditamos que estudar os algoritmos matemáticos pode motivar os alunos aos estudos, tendo em vista que eles podem estar associados ou não a atividades que os discentes certamente estão acostumados a resolver no cotidiano. Reafirmamos que os algoritmos estão presentes em atividades didáticas e até mesmo nos equipamentos que adquirimos das empresas comerciais. Assim, quando adquirimos um móvel ou qualquer outro bem de consumo, e vamos instalar ou montar, normalmente recebemos um esquema de montagem a ser seguido para que o móvel ou objeto comprado possa ser utilizado sem maiores dificuldades. Quando tivermos dúvidas ou não tivermos condições para essa atividade, a empresa ou o consumidor pode recorrer a técnicos ou montadores profissionais com experiências e conhecimentos nessas atividades. Mas, normalmente essas tarefas são facilmente executadas por consumidores seguindo esses manuais e esquemas de forma bem intuitiva. No entanto quando abordamos os algoritmos da matemática eles foram estudados por muitos matemáticos e pesquisadores ao longo dos anos de estudos. Mas, eles da mesma forma podem ser interpretados por estudantes de uma forma prática e bem intuitiva.


Esses algoritmos estudados, como vimos são técnicas para facilitar e realizar cálculos, e como exemplo citamos o algoritmo de Briot-Ruffini também chamado de regra de Ruffini, que nada mais é do que um método de resolução de frações polinomiais, criado pelo matemático Paolo Ruffini para efetuar a divisão, fazendo cálculos apenas com coeficientes e que só serve para divisões de um polinômio por um binômio.


Caro leitor, se o artigo foi útil para você, pedimos que compartilhe com seus amigos e pares para que o conhecimento circule e possa chegar ao maior número de pessoas, e dessa forma estará ajudando um número maior de estudantes. Se quiser compartilhar nosso endereço com os seus amigos, agradecemos profundamente.

Se ficou dúvidas ou quiser enriquecer o texto, faça um comentário ao final do texto que teremos o maior prazer em responder e publicar, sempre no menor prazo possível.

Finalizando, agradecemos a todos pela visita e apoio. Muito obrigado!




quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

Principais Programas Educacionais Brasileiros!

Principais Programas Educacionais de Incentivo ao Estudante!
Resolvemos publicar esse artigo em atenção aos milhares de estudantes que querem estudar e que infelizmente não tem condições financeiras para arcar com todas as despesas para se formar em um curso superior ou até mesmo em nível médio de conhecimento. Sabe-se que muitos alunos, vindo de famílias carentes não tem condições financeiras para se sustentarem por longos anos de estudo e dedicação exclusiva aos cursos, pois estes são obrigados a trabalharem desde cedo para se manterem e levarem alimentação aos seus lares e suas famílias.

Em muitas partes do mundo onde verificamos excelência na educação, existe muitos incentivos para os alunos desempenharem bem o aprendizado, em quase todos os níveis do conhecimento. Por exemplo, a China têm mão de obra qualificada, pois incentiva e forma profissionais competentes, atraindo investidores e empresas de todo o planeta para atuarem em seus quadros e vem se tornando uma das maiores potências atuais.


Esteja certo de que existem pessoas e instituições sérias que desejam ajudar as pessoas e estudantes que se destacam e que tenham vontade de aprender e estudar para realizar seus sonhos nesse propósito. 

Conhecemos muitos profissionais qualificados que puderam estudar e se desenvolver graças a programas de incentivos e financiamentos que vamos citar nesse artigo. Então vamos conhecer a seguir os principais programas e ações que pode ajudar os estudantes brasileiros que desejam esses tipos de incentivos:





FIES: É um programa de financiamento estudantil disponibilizado pelo governo federal, com juros baixos (cerca de 3,4% ao ano). Para participar é obrigatório o estudante cumprir requisitos de renda e desempenho no Enem. As inscrições são gratuitas e acontecem no primeiro e no segundo semestre do ano letivo. O estudante deve ficar atento às datas e se inscrever. O próximo período de inscrição será de 19 ao 23 de fevereiro;
Quero Bolsa: Trata-se de um site que concede bolsas de estudo aos estudantes participantes, com descontos que vão até 75% no valor da mensalidade em mais de 1,2 mil faculdades em todo o Brasil. Não cobra-se taxas semestrais. Porém, para adquirir o desconto é preciso o candidatos se cadastrar no site e pagar a pré-matrícula antes de poder imprimir o comprovante;
ProUni: O ProUni ou Programa Universidade para todos oferece bolsas de estudos parciais e integrais destinado para as faculdades privadas. O processo seletivo leva em conta critérios de renda e desempenho no Enem. São efetuadas duas edições por ano. As inscrições são gratuitas e vão ser abertas no dia 6 de fevereiro em 2018;
PraValer: É um programa pelo qual o aluno financia o primeiro semestre do curso, sem juros, pagando apenas 50% da mensalidade. Segundo as normas do programa, nos demais semestres, o estudante parcela o valor das mensalidades com juros menores do que os do mercado. Esse crédito educativo pode ser utilizado em conjunto com outros benefícios, como FIES, ProUni, descontos das faculdades e bolsas de estudo parciais, entre outros;
Instituto Educar: Trata-se de um programa que possibilita financiar até 50% da mensalidade de cursos superiores e de pós-graduação. Mas, que somente é valido para faculdades credenciadas. Esse tipo de financiamento estudantil privado não pode ser utilizado junto com outros benefícios, sejam eles públicos ou privados (descontos, bolsas, FIES, ProUni, etc.);
Educa Mais Brasil: É uma empresa privada que tem parceria com mais de 18 mil instituições e que disponibilizam bolsas de estudo para os participantes de até 70% . Para isso é preciso se inscrever no site e pagar uma taxa semestral. Eles possuem convênios com empresas e associações. Sabe-se que algumas universidades possuem parceria com empresas, ou com instituições de classe de sua região, oferecendo descontos para funcionários e dependentes relacionados por essas empresas e instituições citadas.
CONCLUSÃO!






Existem muitos outras ações, iniciativas e incentivos educacionais tais como: Amigos da Escola, Todos pela Educação, Pronatec, Pnae, Pnat, Pdde, Mais Educação, entre tantos outros programas, que o leitor pode e deve se inteirar ou quem sabe até participar. Não tenha dúvidas de que essas atitudes, ações e programas fazem toda a diferença para incentivar o aluno e que são importantes ferramentas destinadas aos alunos que quiserem estudar ou fazer cursos, ou até mesmo para que esses tenham condições e recursos suficientes para realizar o sonho de obter um diploma em nível superior e prestar um bom serviço a todos e ao nosso pais. Muitos pais e responsáveis apenas criticam a qualidade da educação, afirmando que nossos professores não ensinam satisfatoriamente, que a direção e os gestores não são competentes, que nosso governo nada faz, ..., mas pouco fazem e muitas vezes não participam da vida escolar e nem frequentam as reuniões na escola em que seus filhos estudam. Na verdade, todos participantes da vida escolar têm um importante papel a cumprir para obter sucesso de aprendizado, pois apenas mandar seu filho(a) para a escola e não acompanhar o passo a passo na escola muitas vezes pode levar ao fracasso escolar.  
Atualmente estamos passando por uma crise educacional e financeira sem precedentes e esses programas amenizam a situação desses estudantes que almejam entrar numa universidade. Sabemos que um curso envolve não somente os recursos financeiros com as mensalidades, materiais necessários, manutenção por alguns anos em acomodações alugadas, mas a dedicação e o empenho do estudante para realizar um bom curso é o que mais vai contar nesse importante estágio da vida do futuro profissional nessas condições mencionadas.
Espero que tenham gostado do artigo e que o compartilhe com todos amigos e pares para que essas orientações cheguem ao maior número de pessoas e estudantes de nosso pais.
Se ficou dúvidas, deixe um comentário ao final do texto que vamos responder se estiver ao nosso alcance, ou mesmo entre no site desses programas, procure mais orientações e se informe.
Finalizando, agradecemos a todos pela visita a apoio. Muito Obrigado!
A Matemática Aqui é Simples e Descomplicada!






Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...